Prainha Branca – união de bons passeios

Que tal um lugar com cachoeira, trilha e mar? Perfeito né. E lugar existem vários, só saber procurar. Com certeza, têm muitos por aí, mas hoje a indicação é sobre a Prainha Branca, localizada na cidade do Guarujá, em São Paulo, com acesso mais fácil próximo à balsa em Bertioga.

Além de paz e sossego, você aproveita todos os encantos da natureza e ainda gasta muito pouco, nesta praia que é um verdadeiro paraíso, pois seu acesso é somente feito por trilha ou por barco, o que limita um pouco o ingresso e assim, só quem realmente “curte o role” é que aparece por lá.

 

 

Já estive em duas oportunidades na Prainha Branca. A primeira em 2017, fui com minhas amigas Sandra e Ingrid. Na segunda em 2018, fui com o Silvio e foram dias memoráveis e bem aproveitados na medida do possível, digo isso porque, infelizmente nas duas vezes, foram somente um final de semana e aí o tempo passa muito rápido e não deu tempo de aproveitar tudo 100%, até porque o clima não ajudou muito. Mas o que vi, me fez voltar de novo e ainda espero voltar muito mais. Porque lugares e companhias que te fazem feliz são inesquecíveis.

 

Prainha Branca é considerada uma das praias mais conservadas dentro da área ambiental da região do Guarujá. Na comunidade há campanhas contra lixos nas praias, revitalização da trilha de acesso e paga-se uma taxa para manter uma associação no local, que visa a preservação da Colônia de Pescadores.

Os viajantes que tem interesse em conhecer este belo destino precisam percorrer uma trilha moderada e bem demarcada com cerca de 30 minutos, ou seja, até crianças conseguem fazer a trilha, sendo uma opção de passeio também para a família toda. O caminho começa na saída da balsa de Bertioga X Guarujá ou para os menos aventureiros e com mobilidade reduzida, tem a opção de alugar um barco (este nunca fiz, só pesquisando na hora mesmo para saber mais detalhes).

 

Na vila não são tantos moradores residentes e a comunidade chama muita atenção, pois ainda preserva aspectos naturais e rústicos que tornam o local excelente alternativa para explorar e observar a sua grande área verde, acampar com segurança e curtir o vento e a brisa do mar.

 

Perto de outras praias dentro deste circuito paulista, Prainha Branca é bem mais pacata, barata e de fácil acesso para quem não tem carro, tornando-se uma ótima opção para os viajantes que procuram lugares mais pacíficos, longe de agitação para relaxar ou fazer trilhas e caminhadas.

 

 

 

E, além da praia da Prainha Branca, é possível ter acesso e conhecer a Prainha Preta (10 minutos de trilha) e Praia do Camburizinho (uns 30 minutos de trilha), ambas acessíveis por barco ou trilha demarcada e no meio do caminho, também tem acesso a uma pequena cachoeira.

Nas duas oportunidades, ficamos hospedados os no Camping do Cantão, muito bem atendidos pelo senhor Walmir, que conta com um espaço muito bom, 3 chalés para quem não quiser acampar, banheiros, chuveiros, área coberta para quem levar e for preparar sua própria comida, como fiz na primeira vez e, como o nome diz, fica bem no canto da praia, longe da agitação e tornando a noite bem mais calma e serena. Já que no, digamos centrinho, estão localizados os restaurantes, mercearias e lanchonetes como o Larica’s, uma das mais famosas por lá. As pousadas existentes na região também se concentram por ali.

 

Eu adorei o passeio e recomendo bastante. Apesar de lá rolar uns “luau’s” e ter um povo e visitantes mais alternativos, é cada um na sua e você se enturma se quiser. Uma opção é ir fora de temporada e feriados. Pois o que vale a pena mesmo é se entrosar e aproveitar a abundância e beleza da natureza presentes no local.

 

 

 

Gastos:
Camping: R$ 35,00 / Diária
Balsa – Travessia pedestres gratuita
Almoço: R$15/20,00 (média/prato feito)
Ônibus rodoviário Jabaquara X Bertioga:
+/- R$40,00 (por trecho)

Porção de camarão: R$ 50/60,00

 

Vamo ki Vamo, @MochilandoNasViagens 😉

Deixe uma resposta